Friday, June 05, 2020

Friday, June 05, 2020 12:30 am by M. in    No comments
Two recent examples of Brazilian scholar Brontë-related research:
A Dubiedade da Protagonista em Jane Eyre, de Charlotte Brontë
Elis Regina Fernandes Alves
Universidade Federal do Amazonas
Revista Ensino de Ciências e Humanidades - Cidadania, Diversidade e Bem Estar- RECH
v. 6 n. 1, jan-jun (2020

Este artigo aborda a evolução da mulher na sociedade, desde o começo do movimento feminista até os dias atuais, com foco no feminismo literário. A análise está voltada para a obra Jane Eyre, de Charlotte Brontë, com enfoque na protagonista Jane Eyre, com o objetivo de analisar o retrato da personagem como objeto e/ou sujeito dentro do contexto patriarcal da primeira metade do século XIX na Inglaterra, mostrando sobretudo a auto-afirmação dessa mulher. Utilizam-se teorias em autores como Beauvoir (1980), Alves e Pitanguy (1985), Michel (1982), Woolf (2000), Zolin (2003), Bonnici (2007), entre outros. Conclui-se que a personagem Jane Eyre se coloca na condição de uma mulher ora objeto ora sujeito, oscilando entre duas fases do feminismo, mostrando-se tanto submissa como independente.
A Fortuna Crítica Inicial de Wuthering Heights
Marcela Zaccaro Chisté ( BIC FAPERGS UFRGS)
Orientadora: Sandra Sirangelo Maggio (UFRGS)
2019

A presente pesquisa – que integra o projeto Sociedade, História e Memória nas Literaturas de Língua Inglesa – analisa a forma como o romance Wuthering Heights, da escritora inglesa Emily Brontë, vem sendo recebido por diferentes tipos de leitores ao longo dos seus 172 anos de fortuna crítica. O recorte trazido para o Salão 2019 verifica a forma como os leitores e os críticos reagiram à primeira publicação da obra, em 1847. A narrativa acompanha a história da família Earnshaw ao longo de duas gerações, com foco no relacionamento demasiadamente próximo entre Catherine Earnshaw, filha do patriarca da família, e Heathcliff, adotado pela mesma família quando criança. Se, por um lado, a primeira edição se esgotou quase de imediato, por outro lado a reação dos críticos foi desoladora. Relacionamentos conflituosos, personagens destoantes, deturpação do ambiente familiar, narrativa não-linear, sentimentos fora do controle, tudo ia na contramão do que se esperava de uma obra de bom tom e de bom gosto, em uma sociedade organizada, progressista e funcional. Ao término da investigação, através da análise de um grupo de resenhas feitas à época da publicação, espero identificar (a) os motivos das divergência entre o que a obra contém e os parâmetros críticos pelos quais ela estava sendo avaliada; e (b) o mistério de por que – se o livro era assim tão ruim – ele estava sendo consumido de maneira tão desenfreada. 

0 comments:

Post a comment